Lançamento: “A fuga”, de André Borges

Date: 27 de novembro de 2017
Time: 18:30  to  20:30

No dia 27 de novembro (segunda-feira) às 18h30, o poeta, escritor e jornalista André Borges lança a segunda edição do livro “A Fuga – rumo à luta armada contra a ditadura”.
 
Preso em abril de 1958, aos 25 anos, por assalto à mão armada, foi parar na Penitenciária Lemos de Brito, considerada um estabelecimento penal modelo, mas com uma peculiaridade: negros retintos eram poucos. A vida de presidiário o levou à leitura incessante de livros, o que lhe deu embasamento cultural que o levou à conscientização política e, embora tivesse sido preso por um crime comum, fez com que ele passasse atuar na militância política, ainda que intra-muros, tornando-se assim o elo entre os presos comuns e os políticos, que já começavam a ser despejados no sistema carcerário, durante a conturbada década de 60. Sua inserção entre os grupos os uniu formando um coletivo carcerário responsável por várias reivindicações, algumas vezes fazendo greve de fome e saindo vitorioso em várias delas.
 
O livro reconstitui a escapada cinematográfica de André, em 1969. Junto a outros oito detentos – a maioria deles ex-militares que participaram de atos políticos contra o golpe de 64 – escaparam em episódio com mortos e feridos. A liberdade durou apenas dois meses, pois foi preso após uma expropriação (assalto para financiar a luta armada) ao Banco Nacional em Vista Alegre.
 
A fuga de André e dos outros presos provocou a determinação do governo de que presos políticos não mais permaneceriam em estabelecimentos penais no perímetro urbano. A partir daquele momento, todos passaram cumprir apenas em Ilha Grande. Foi na ilha que a convivência entre presos comuns e políticos resultou no embrião do Comando Vermelho.
 
Ao sair da prisão, sua primeira atividade foi ler o manifesto de greve de fome dos presos políticos exigindo anistia política, em um ato realizado no Teatro Casa Grande. Um mês depois, foi assinado o Decreto-Lei 6683/79, instituindo anistia política aos opositores do regime.
 
André Borges é um dos fundadores do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Por muito mais do que uma ironia do destino, com a vitória de Leonel Brizola, tornou-se assessor da direção do Desipe, cargo pleiteado por ele, apesar de outros mais vantajosos que poderia pleitear… “Como pode um criminoso, ex-presidiário, ser detentor de poder dentro do sistema carcerário?”, inquiriam os opositores do governador, que mesmo assim o manteve em seu governo, transferindo-o, para a Secretaria Estadual de Justiça, à qual estava subordinado o Departamento de Sistema Penitenciário.
 
Além de ser um dos fundadores do PDT, André participou também da criação da Confederação Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB). Atualmente, é Vice-presidente do Instituto Palmares de Direitos Humanos (IPDH) no Rio de Janeiro, ligado à questão racial, Diretor cultural da Casa da América Latina, e Coordenador Estadual-Adjunto do Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH).
 
FICHA TÉCNICA
Título: “A Fuga – rumo à luta armada contra a ditadura”
Autor: André Borges
Prefácio: José Louzeiro
Texto da orelha: Arthur Poerner
Nº páginas: 240
2ª edição (1ª edição, 2008, Ed. Urbana)
Dimensões: 14 x 21 cm
Editora Lacre – selo Gôndola
Preço R$ 30
CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn