Ex-preso desaparecido como testemunha em crimes lesa-humanidade

Date: 15 de setembro de 2018
Time: 17:00  to  20:00

Sábado, dia 15 de setembro, às 17h00, lançaremos o livro: “O ex-preso desaparecido como testemunha dos julgamentos por crimes de lesa-humanidade”, de Fabiana Rousseaux e Eduardo Luis Duhalde, que acaba de ser traduzido para o português.

Faremos uma conversa com os seguintes convidados: Renan Quinalha, Janaína Teles, Adriano Diogo, Fabiana Rousseaux.

“O livro que o leitor brasileiro agora tem em mãos é um documento precioso em diversos sentidos.
Primeiro, porque se trata de um registro ímpar de um dos mais impactantes e ousados processos de reparação histórica e de responsabilização por violações de direitos humanos de que se tem notícia nas nossas democracias contemporâneas.
Contudo, ainda que o simples relato informativo dessa empreitada já significasse muito, os textos aqui compilados não se reduzem ao mero registro histórico de fatos e acontecimentos. Antes, eles sistematizam reflexões e análises de duas pessoas, com notório conhecimento e experiência em suas áreas de atuação, que foram protagonistas das políticas públicas de direitos humanos. Mais do que isso, trata-se de dois ativistas profundamente comprometidos, ética e politicamente, com a luta pelos direitos humanos na Argentina”.
(Renan Quinalha: http://tecmered.com/a-longa-trajetoria-da-justicia/)

Sobre os debatedores:

Fabiana Rousseaux, Psicoanalista. Diretora da Asociación Civil Territorios Clínicos de la Memoria. Coordenadora da Área de Subjetividad y DDHH.

Renan Quinalha, advogado com formação em Direito e em Ciências Sociais na Universidade de São Paulo (USP), onde defendeu o Mestrado em Sociologia do Direito. É professor da Unifesp, doutor em Relações Internacionais, membro da diretoria do Grupo de Estudos sobre Internacionalização do Direito e Justiça de Transição (IDEJUST), do Conselho de Orientação Cultura do Memorial da Resistência, e foi assessor da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva.”

Janaína Teles, historiadora formada pela Universidade de São Paulo, possui pós-doutorado em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas e pós-doutorado em História pela Universidade de São Paulo. É pesquisadora associada do Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP) da Universidade de São Paulo e Secretária-geral do Instituto de Estudos sobre a Violência do Estado (IEVE). É membro do Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO), Argentina, onde integra a equipe de pesquisadores do projeto “Derechos Humanos, Luchas e Territorialidades”. É consultora do Projeto Territorios Clínicos de la Memoria (Red latinoamericana de profesionales en DDHH y subjetividad).

Adriano Diogo, geólogo sanitarista formado pela USP. Iniciou sua militância política em 1963. Participou da resistência à ditadura militar e da luta pela anistia e pelos direitos humanos. Dedicou-se à carreira política como vereador, deputado estadual e presidente da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva” na Alesp.

 

Página do evento no Facebook: clique aqui.

CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn