Lançamento “Fractais Tropicais”

Date: 19 de dezembro de 2018
Time: 19:00  to  21:00
SESI-SP Editora convida para o lançamento da antologia “Fractais Tropicais” (organização Nelson de Oliveira).
 
>> Debate com presença de Ana Rüsche, Ivan Carlos Regina e Roberto de Sousa Causo.
 
>> Mediação de Nelson de Oliveira.
 

Fractais Tropicais é uma antologia que serve como uma nova prova de que a literatura brasileira é rica e diversa, dona de facetas insuspeitas. Sim, há ficção científica brasileira, e ela é fértil e digna de toda a atenção. Para além dos clássicos justamente sacralizados, há uma infinidade de seres estranhos que habitam o difuso limiar entre o conhecido e o desconhecido. Visíveis apenas aos olhares mais atentos, ignorados (às vezes intencionalmente) pela nossa crítica literária, há décadas e décadas caminham entre os brasileiros esses seres que firmam um pé no presente e outro no futuro. Ou um pé no Brasil e outro nas galáxias além. Ou um no mundo palpável e outro nos confins do ciberespaço. Esses seres tão estranhos têm muito a mostrar; basta dar a eles a oportunidade de falar – oportunidade que tradicionalmente tem sido negada pelo nosso conservador ambiente literário. Alguns dos mais significativos desses seres mostram seus contos nas páginas de Fractais Tropicais. Se não os conhece, eis aqui um panorama dos autores de ficção científica brasileiros.

Nelson de Oliveira

Nasceu em Guaíra, em 1966. É escritor e coordenador de oficinas de criação literária. Publicou o romance Subsolo infinito e a coletânea de contos Às moscas, armas!, entre outras obras. Venceu duas vezes o Prêmio Casa de las Américas, em 1995 e 2011. Quatro anos atrás, viajou para Cobra Norato e voltou meio estranho, mais desinibido e entusiasmado. Dizem que esta antologia de ficção científica foi organizada por um doppelgänger. Nelson (será mesmo ele?) não confirma nem nega: “Minha praia sempre foi a ficção fantástica, é verdade. Mas combinei com o Luiz Bras de trocarmos de posição só uma vez: eu organizaria uma antologia de ficção científica brasileira e ele organizaria uma antologia de ficção fantástica brasileira. Minha parte do acordo eu cumpri. Agora, é a vez dele”.

Ivan Carlos Regina

Nasceu em Bauru, em 1953. Publicou o clássico O fruto maduro da civilização (contos), entre outras obras. É autor do Manifesto antropofágico da ficção científica brasileira. Segundo a enciclopédia galáctica: “Ivan vive em outra dimensão, não adianta chamá-lo. Tem o corpo recoberto por uma película de educação que mede trinta micras, derme androide que abriga um coração solitário. No labor de encontrar o amor, permaneceu estacionado três mil anos na órbita de Aldebarã. Ficou azul com o passar do tempo, igual a sua estrela. Hoje caminha rumo ao Éter Inconsútil numa nave verde e amarela. No resto, é uma pessoa quase normal”.

Roberto de Sousa Causo

Nasceu em São Bernardo do Campo, em 1965. É ficcionista, pesquisador, editor e tradutor. Publicou Shiroma: matadora ciborgue (contos), Glória sombria (romance) e Ficção científica, fantasia e horror no Brasil: de 1875 a 1950 (ensaio), entre outras obras. Venceu o prêmio Jeronymo Monteiro e o Projeto Nascente. Também obteve o reconhecimento da Sociedade Brasileira de Arte Fantástica, por impulsionar a ficção científica no Brasil. Quando perguntam ao autor se já teve a mente invadida por um telepata, ele sempre responde: “Minha mulher, Finisia Fideli, lê meu pensamento o tempo todo, desde que nos casamos. Eu geralmente me sinto monotemático…”.

Página do evento no Facebook: clique aqui

CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn